José Redondo

jose-redondo-net

“O beirão de quem todos gostam”

Certo dia, entrou-me pela casa adentro, acompanhado de um trabalhador de enxadão às costas, e comunicou-me que vinha plantar no terreno reservado às hortênsias, algumas das plantas que fazem a delícia do paladar dos apreciadores do Licor Beirão. Em menos de uma hora vi presos à terra coentros, alecrim, erva doce, alfazema e sei lá que mais…

A surpresa não fora grande até porque sempre havia convivido com a excentricidade do velho primão Carranca Redondo, mais conhecido por Zeca entre os familiares, excentricidade essa que se manifestava no seu carácter extremista: ou gostava muito da pessoa e entregava-se-lhe de alma e coração – privilégio de que beneficiei – ou zurzia, com um humor próprio de uma inteligência invulgar, naquele que entendia pretensioso ou cacique. Gostava do imprevisto, de desafios e vivia a provocá-los. Desde casar pela Igreja no dia 5 de Outubro para poder futuramente festejar a festa com foguetes, provocando o regime salazarista, ou fazendo publicar um cartaz que dizia “Licor Beirão, o beirão de quem todos gostam”, ou defendendo-se dezenas de vezes em tribunal sem recorrer a advogado, ganhando os processos.
Talvez até seja este o melhor cartão de visita de um homem que só acreditava em regimes políticos onde o trabalho e o mérito fossem a sua base ideológica e que marcou para sempre a publicidade em Portugal.
É dentro desta cultura que se forma José Redondo, o seu filho, também ele incapaz de parar num sucesso conseguido. Herdeiro de uma cultura de responsabilidade e de irreverência, deu à sua empresa uma nova imagem sem perda de identidade, acrescentando-lhe mais criatividade e universalizando a marca. Desde 1960 que a marca Licor Beirão tem chegado a Espanha, França, Grã-Bretanha, Suíça, Estados Unidos da América, Brasil…

Responsável pelo Marketing, Daniel Redondo, neto do fundador, assegura a tradição criativa da família, levando o Beirão às camadas mais jovens, unindo gerações, transformando-o num traço de união entre culturas.

Ricardo, outro dos netos, é o responsável financeiro da empresa. Suzana e Manuela Redondo, as duas filhas do velho Zeca, são, também elas, corresponsáveis por esta gestão criativa de sucesso.
Carranca Redondo iniciou a empresa com a ajuda da sua mulher, Maria José, e de um único empregado. Hoje o Licor Beirão é uma empresa totalmente informatizada onde o único trabalho manual é o da colagem das fitas que selam as garrafas.
Faz todo o sentido este apoio do Licor Beirão à obra de Matos Ferreira. E porquê? Porque casa universalismos, partindo da base radicular do húmus primordial, a Vila da Lousã.

Monte-Estoril, 10.setembro.2015
Carlos Carranca

Ver Vinhos

This entry was posted in . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>